O Projeto

   

Basicamente, as perdas de água nos sistemas de abastecimento correspondem à diferença entre o volume total de água produzido nas estações de tratamento e a soma dos volumes medidos nos hidrômetros instalados nos imóveis dos clientes.

Ações para o Combate às Perdas de Água

O combate a perdas demanda um esforço permanente, pois as perdas de água têm uma tendência natural de aumento, ou seja, se nada for feito as perdas aumentam pois, com o passar do tempo, a infraestrutura envelhece, surgem novos vazamentos, os hidrômetros perdem precisão e as irregularidades aumentam. Assim é preciso realizar um nível de esforço e aplicação de recursos para evitar que as perdas aumentem, e um nível adicional para reduzir as perdas.

 

As principais ações para o combate às perdas físicas ou reais são:

  • gerenciamento de pressões a partir da execução de obras de setorização dos sistemas de distribuição de água, incluindo a instalação de Válvulas Redutoras de Pressão em áreas específicas com pressões elevadas, para reduzir e estabilizar as pressões de modo a reduzir a quantidade de novos vazamentos e a vazão dos vazamentos existentes;

  • varreduras para localização de vazamentos não visíveis;

  • reparo dos vazamentos visíveis e não visíveis em redes e ramais;

  • renovação da infraestrutura com a substituição de redes e ramais antigos e deteriorados;

  • execução de obras de adequação dos setores de abastecimento, com melhoria dos níveis de pressão nas redes e a redução do tamanho das áreas de controle, de modo a otimizar sua operação e manutenção.

 

As principais ações para o combate às perdas não físicas ou aparentes são:

  • substituição de hidrômetros de modo a se obter a medição precisa dos volumes entregues aos clientes;

  • combate a irregularidades.

O Projeto de redução de perdas de água da CAESB

A Caesb por meio de avaliações recentes constatou que no Distrito Federal essas perdas chegam em torno de 34%, neste sentido busca por ações interventivas de caráter corretivo e preventivo focada nas principais causas, que são os vazamentos em ramais, vazamentos em redes e pressões altas em função da análise da infraestrutura já existente, considerando o material, idade, condições de funcionamento e pressões nos sistemas. Essas intervenções possibilitam a redução das perdas reais por meio da setorização da rede de distribuição que foi prejudicada ao longo dos anos, em função da crescente demanda populacional urbana não planejada que ocasionou ocupações irregulares e deterioração dos recursos naturais locais.  

   

A Implantação da obra de Setorização para a rede de distribuição é uma forma de separar em partes os distritos de medições, permitir o controle individual de cada parte, englobar a substituição de redes, monitorar os novos setores a fim de acompanhar o funcionamento e redução de perdas no sistema.

   

Dessa forma, o projeto visa acompanhar de forma rigorosa as intervenções em áreas urbanizadas, ocupadas, comerciais e de grande fluxo de pessoas e carros, durante toda a execução da obra a fim de atender à população afetada, minimizar os impactos negativos por meio do desenvolvimento de Ações Socioambientais, envolvendo a participação da comunidade como cidadãos detentores de direitos e deveres no usufruto de seus espaços, respeitando suas particularidades.

   

Abaixo apresenta-se a ilustração de toda a região a ser setorizada na Região Administrativa de Sobradinho II, Brasília/DF, de modo que cada cor representa um DMC.

INSCREVA-SE E RECEBA NOSSOS COMUNICADOS